Arquivos do Blog

A Educação se tornou a única tecla de Cristovam Buarque

Sem dúvida, foco do senador é importante para o desenvolvimento do país, mas não pode ser o único

Por Filipe Matoso

Sempre votei em Belo Horizonte (MG). Se meu voto fosse em Brasília (DF), cidade onde moro atualmente, certamente teria votado em Cristovam Buarque para senador. O vejo como um bom político, o admiro pelo trabalho focado na Educação, mas não concordo que essa deva ser a única tecla a ser batida no nosso país.

Não tenho dúvida alguma de que a Educação é, sim, um dos pilares de desenvolvimento do país, além de ser um dos principais carros-chefes de qualquer nação. Disse “pilares” e “carros-chefes”, pois vejo outros itens também com prioridade. Por exemplo, Segurança, Saúde e Transporte são fundamentais para que o país se torne um lugar melhor para viver.

senador Cristovam Buarque (PDT-DF)

As propostas do senador Cristovam Buarque (PDT-DF) são boas, mas não contemplam outras áreas e isso é, sim, prejudicial. Infelizmente, há ainda vários outros problemas a serem resolvidos e precisamos que os três senadores do DF se comprometam a solucioná-los, ou melhorá-los. É fácil perceber que temos problemas na Saúde, na Segurança, no Transporte e em outros pontos. Então, não podemos deixar um item com um senador e todos os outros nas mãos de dois.

Na refeição brasileira o feijão é indispensável. No entanto, ninguém sobrevive se comer somente feijões. Outro exemplo, é ver o teclado do computador e imaginá-lo somente com a tecla “A”. Sem dúvida, essa tecla é importante, mas não pode ser única. Levando para o lado da Educação, é fundamental que qualquer pessoa estude, mas que não vá às aulas somente até ao 9º ano. Entende?

Não critico (e jamais o faria) o Cristovam por ele se preocupar com a Educação. Acho, apenas, que seria mais interessante se ele olhasse para outros lados. Não me passa pela cabeça dizer que a área de maior preocupação do senador não é importante. Entretanto, não vejo problemas em cobrar um pouco mais de atuação do ex-petista em outras áreas. Leia o post na íntegra Leia o resto deste post

A fraca oposição que PSDB e DEM fazem no Brasil

Propaganda do PSDB exibida na última quinta-feira mostrou porque o partido perde forças a cada dia

Por Filipe Matoso

Você leu o último texto no Blog do Filipe e se informou sobre o estudo do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) a respeito dos aeroportos brasileiros para a Copa de 2014. Pois é. No fim da noite da última quinta-feira (15), o PSDB exibiu uma propaganda falando sobre o absurdo das obras para a Copa do Mundo estarem paralisadas em alguns aeroportos. De fato, a situação está ruim, mas veja que pode ficar pior.

O dever da população é cobrar do governo medidas para a melhoria do transporte, da saúde, educação, segurança, etc. O dever de jornalistas é ficar em cima e falar sobre o que estiver errado e abordar o que estiver certo. Já a obrigação da oposição é discutir os temas propostos pelo governo e melhorá-los, caso não concordem. No entanto, o PSDB mostrou ter a mentalidade de um jovem de 19 anos.

Faço Jornalismo, tenho 19 anos e não entendo nada de Política, apenas acompanho. A propaganda do PSDB demonstrou que eles também não entendem nada e apenas gostam de criticar o governo. Ora, meu dever como cidadão é cobrar atitudes de quem está no poder. Enquanto isso, o dever dos políticos da oposição, que estão lá por terem recebido votos da população, é propor melhorias para o país e não apenas resmungar.

Vejamos os principais partidos da oposição: DEM e PSDB. Para o Democratas, é questão de tempo até que a sigla se torne minúscula no país. O DEM tende a se esfarelar, com a saída de tantos parlamentares para o PSD. No PSDB a situação também é ruim. As disputas entre mineiros e paulistas, mais precisamente entre Aécio Neves e Serra, tendem a enfraquecer a legenda. Leia o post na íntegra Leia o resto deste post

Esclarecimentos sobre o post no Twitter

Olá, pessoal.

Gostaria de esclarecer o post que coloquei no Twitter:

“@BlogdoNoblat conseguiu mostrar que lutamos pela liberdade de expressão, mas não aceitamos quem é contra nosso pensamento…”. Bem, ampliando aqui, pois o espaço no Twitter é curto:

Não defendo as ideias de Jair Bolsonaro. De forma alguma pactuo com declarações e/ou atitudes preconceituosas. No entanto, as pessoas têm direito de expressar suas opiniões, por conta do livre arbitrio de se posicionarem. Reafirmo que o preconceito é inaceitável em qualquer situação.

Não chamo de liberdade de expressão quando alguém humilha e ofende outras pessoas. De forma alguma! Entretanto, da mesma forma que exigimos a liberdade para nos expressarmos (claro, de forma respeitosa), devemos garantir que os outros possam fazê-lo também.

Tentanto deixar um pouco mais claro, o Bolsonaro pode ser contra as passeatas gays, mas em hipótese alguma pode ser preconceituoso com homossexuais.

Filipe Matoso.

As contradições da imprensa

Após considerar o ex-presidente Lula ditador, jornalistas dizem que declarações de Bolsonaro não passam de liberdade de expressão

Por Filipe Matoso

Você provavelmente já viu ou ouviu falar sobre a entrevista do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) ao programa da Rede Bandeirantes CQC, exibido na última segunda-feira (28 de março). No vídeo, o parlamentar diz que filhos não são gays, pois tiveram um pai presente. Além disso, afirma que descendentes jamais teriam relacionamentos com mulheres negras, “pois isso seria uma promiscuidade e eles foram muito bem educados”, segundo Bolsonaro.

Entre as consequências, o parlamentar foi processado judicialmente pela cantora Preta Gil – Preta perguntou se ele aceitaria que os filhos namorassem mulheres negras. Na Câmara dos Deputados, Bolsonaro foi levado ao Conselho de Ética, por quebra de decoro parlamentar. O movimento na Casa é encabeçado pelo deputado Jean Willys (Psol-RJ), homossexual assumido.

Confira o vídeo:

Bem, o vídeo e a fala de Bolsonaro não são novidades para ninguém. Entretanto, fui surpreendido ao ver no Twitter (nesta segunda-feira) jornalistas renomados defendendo o parlamentar carioca. Segundo eles, “Bolsonaro nada mais fez que exercer a liberdade de expressão”.  E foram além, ao dizerem que vivemos em uma república e isso tem que ser aceitável. Fiquei chocado! Leia a matéria na íntegra Leia o resto deste post

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.